12 Poemas



Cansaço (1)

O que há em mim é sobretudo cansaço — / Não disto nem daquilo, / Nem sequer de tudo ou de nada: / Cansaço assim mesmo, ele mesmo, / Cansaço. / / A subtileza das sensações inúteis, / As paixões violen...

Querem uma Luz Melhor que a do Sol! (2)

AH! QUEREM uma luz melhor que/ a do Sol!/ Querem prados mais verdes do que estes!/ Querem flores mais belas do que estas/ que vejo!/ A mim este Sol, estes prados, estas flores contentam-me./ Mas, se ...

Ideal (3)

Aquela, que eu adoro, não é feita/ De lírios nem de rosas purpurinas,/ Não tem as formas languidas, divinas/ Da antiga Vénus de cintura estreita.../ / Não é a Circe, cuja mão suspeita/ Compõe filtros...

Prince Charmant (4)

No lânguido esmaecer das amorosas/ Tardes que morrem voluptuosamente/ Procurei-O no meio de toda a gente./ Procurei-O em horas silenciosas/ / Das noites da minh'alma tenebrosas!/ Boca sangrando beijo...
Livro de Sóror Saudade

Elevação (5)

Por cima dos paúes, das montanhas agrestes,/ Dos rudes alcantis, das nuvens e do mar,/ Muito acima do sol, muito acima do ar,/ Para além do confim dos páramos celestes,/ / Paira o espírito meu com to...

O Ideal (6)

Nunca poderá ser pálida bonequinha,/ Produto sem frescor qual manequim de molas,/ Pés para borzeguins, dedos p'ra castanholas,/ Que há-de satisfazer almas como esta minha./ / Eu deixo a Gavarni, poet...

Fantasia (7)

Há uma mulher em toda a minha vida,/ Que não se chega bem a precisar./ Uma mulher que eu trago em mim perdida,/ Sem a poder beijar./ / Há uma mulher na minha vida inquieta./ Uma mulher? Há duas, muit...

Diferente (8)

Buscando o vão Ideal que me seduz,/ Sem que o atinja me disperso e gasto,/ E ansiosamente aos braços duma cruz/ Ergo o perfil de iluminado e casto./ / Já tristemente desdenhoso afasto/ O manto de bur...

Vae para um Convento! (9)

Falhei na Vida. Zut! Ideaes caidos!/ Torres por terra! As arvores sem ramos!/ Ó meus amigos! todos nós falhamos.../ Nada nos resta. Somos uns perdidos./ / Choremos, abracemo-nos, unidos!/ Que fazer? ...

A Lanterna (10)

O sabio antigo andou pelas ruas d'Athenas,/ Com a lanterna accesa, errante, à luz do dia,/ Buscando o varão forte e justo da Utopia,/ Privado de paixões e d'emoções terrenas./ / Eu tambem que aborreç...

Interrogação (11)

Onde é que está essa mulher fadada,/ Que o meu sonho criou num desvario,/ Acaso existe, acaso foi criada,/ Ou vive apenas porque eu a crio?/ / Onde é que vive essa mulher sonhada,/ Da minha mesa o vi...

Tormanto do Ideal (12)

Conheci a Beleza que não morre/ E fiquei triste. Como quem da serra/ Mais alta que haja, olhando aos pés a terra/ E o mar, vê tudo, a maior nau ou torre,/ / Minguar, fundir-se, sob a luz que jorre:/ ...


Pesquisa

Facebook

É o Amor o Monólogo Partilhado

É o amor o monólogo partilhado. Depois do prazer dela era todo o mundo que fazia sentido. O orgasmo escorria como se percorre a vida. E havia o beijo final. O beijo depois do beijo. O beijo que nem ...

A Seriedade é uma Doença

A seriedade é uma doença, e o mais sério dos animais é o burro. Ninguém lhe tira, nem com afagos nem com a chibata aquele semblante cabido de mágoas recônditas que o ralam no seu peito. Há nele a lin...