10 Poemas



Desde a Aurora (1)

Como um sol de polpa escura/ para levar à boca,/ eis as mãos:/ procuram-te desde o chão,/ / entre os veios do sono/ e da memória procuram-te:/ à vertigem do ar/ abrem as portas:/ / vai entrar o vento...

Coração Habitado (2)

Aqui estão as mãos./ São os mais belos sinais da terra./ Os anjos nascem aqui:/ frescos, matinais, quase de orvalho,/ de coração alegre e povoado./ / Ponho nelas a minha boca,/ respiro o sangue, o se...

As Minhas Mãos (3)

As minhas mãos magritas, afiladas,/ Tão brancas como a água da nascente,/ Lembram pálidas rosas entornadas/ Dum regaço de Infanta do Oriente./ / Mãos de ninfa, de fada, de vidente,/ Pobrezinhas em se...
Charneca em Flor

Dá-me as Tuas Mãos (4)

As mãos foram feitas/ para trazer o futuro,/ encurtar a tristeza, encher/ o que fica das mãos/ de ontem - intervalos/ (duros, fiéis) das palavras,/ vocação urgente/ da ternura, pensamento/ entreabert...

As Mãos (5)

Brandamente escrevem dos espasmos do sol./ Envelhecem do pulso ao cérebro, ao calor baço/ de um revérbero no eixo dos ventos, usura/ das máscaras que, sucessivamente, as transformam/ / de consciência...

As Tuas Mãos Terminam em Segredo (6)

As tuas mãos terminam em segredo./ Os teus olhos são negros e macios/ Cristo na cruz os teus seios (?) esguios/ E o teu perfil princesas no degredo.../ / Entre buxos e ao pé de bancos frios/ Nas entr...

Cacida da Mão Impossível (7)

Não quero mais que uma mão,/ mão ferida, se possível./ Não quero mais que uma mão,/ inda que passe noites mil sem cama./ / Seria um lírio pálido de cal,/ uma pomba atada ao meu coração,/ o guarda que...

Poema da Hora Escoada (8)

Minhas mãos/ - duas chamas débeis de vela/ unidas no mesmo destino./ / Minhas mãos/ derretidas em cera/ que vai escorrendo,/ gota a gota,/ ao longo do corpo hirto/ da vela moribunda./ Que vai escorre...

As Tuas Mãos (9)

Pálido, extático,/ olhavas para mim./ E as tuas mãos raras,/ de linhas estilizadas,/ poisavam abandonadas/ sobre os tons liriais do meu coxim…/ / Os meus olhos de sonho/ ficaram presos tristemente/ à...

A umas Mãos (10)

Senhora, estas vossas mãos/ São sobre belas tão lindas,/ Que dão de mão aos arminhos/ Na candidez, com que brilham./ Formou-as a natureza/ De excelências tão subidas,/ Que por essas mãos perder-me./ ...


Pesquisa

A Poesia

... Quantas obras de arte... Já não cabem no mundo... Temos de as pendurar fora dos quartos... Quantos livros... Quantos livrecos... Quem será capaz de os ler?... Se fossem comestíveis... Se numa pan...

Quando Chega uma Carta Tua

Quando chega uma carta tua todas as divagações acabam, e acordo para a vida. Todos os problemas estranhos deixam de ter importância, os misteriosos quadros de doenças se desvanecem, e acabam-se as te...
Facebook