12 Poemas



A Música (1)

A música p'ra mim tem seduções de oceano!/ Quantas vezes procuro navegar,/ Sobre um dorso brumoso, a vela a todo o pano,/ Minha pálida estrela a demandar!/ / O peito saliente, os pulmões distendidos/...

o suporte da música (2)

o suporte da música pode ser a relação/ entre um homem e uma mulher, a pauta/ dos seus gestos tocando-se, ou dos seus/ olhares encontrando-se, ou das suas/ / vogais adivinhando-se abertas e recíproca...

Por Entre os Sons da Música (3)

Por entre os sons da música, ao ouvido/ como a uma porta que ficou entreaberta/ o que se me revela em ter sentido/ é o que por essa música encoberta/ / acena em vão do outro lado dela/ e eu sinto com...

Pobre Velha Música! (4)

Pobre velha música!/ Não sei por que agrado,/ Enche-se de lágrimas/ Meu olhar parado./ / Recordo outro ouvir-te,/ Não sei se te ouvi/ Nessa minha infância/ Que me lembra em ti./ / Com que ânsia tão r...

Violoncelo (5)

Chorai arcadas/ Do violoncelo!/ Convulsionadas,/ Pontes aladas/ De pesadelo.../ De que esvoaçam,/ Brancos, os arcos.../ Por baixo passam,/ Se despedaçam,/ No rio, os barcos./ Fundas, soluçam/ Caudais...

O Maestro Sacode a Batuta (6)

O maestro sacode a batuta,/ A lânguida e triste a música rompe .../ / Lembra-me a minha infância, aquele dia/ Em que eu brincava ao pé dum muro de quintal/ Atirando-lhe com, uma bola que tinha dum la...

Da Música (7)

A musica derrama-se/ no corpo terroso/ da palavra. Inclina-se/ no mundo em mutação/ do poema./ / A música traz na bagagem/ a memória do sangue; o caminho/ do sol: Lume e cume/ de palavras polidas./ /...

Eu Peneiro o Espírito e Crivo o Ritmo (8)

Eu peneiro o espírito e crivo o ritmo/ Do sangue no amor, o movimento para fora/ O desabrigo completo. Peneiro os múltiplos/ Sentidos da palavra que sopra a sua voz/ Nos pulsos. Crivo a pulsação do c...

Música (9)

A doce, iriada melodia,/ roxa sombra na tarde escarlate,/ chorosa, ouço-a; bate/ e verte quentura na minha alma fria./ / Quantos anos galgaram lépidos,/ furtivos, maldosos, sobre a minha cabeça!/ E n...

Fuga (10)

O músico procura/ Fixar em cada verso/ O cântico disperso/ Na luz, na água e no vento./ / Porém, luz, vento e água/ Variam riso e mágoa,/ De momento a momento./ / E em vão a área dos dedos/ Se eleva!...

Abertura (11)

Eu abria o rádio/ eu abria o aparelho/ era uma flor branca que eu abria/ de sopro/ eu soprava e eu abria a flor/ A flor tocava música com as várias mãos/ das pétalas/ A flor tocava uma simbolização d...

Música (12)

A música vinha duma mansidão de consciência/ era como que uma cadeira sentada sem/ um não falar de coisa alguma com a palavra por baixo/ nada fazia prever que o vento fosse de azul para cima/ e que a...


Facebook

A Verdade é a Coisa Mais Óbvia

A verdade é a coisa mais óbvia e mais simples da existência, mas provoca uma enorme dificuldade, a mente não se interessa pelo óbvio. A mente não se entusiasma com o que é simples, porque lá no fundo...

A Visita do Príncipe

Não sei nunca o que me trazem as palavras, elas gostam tanto de me surpreender. Hoje ao levantar da névoa trouxeram-me a casa sobre o rio, o terraço escassamente iluminado por um lampeão que balançav...
© Copyright 2003-2016 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE
Loading...