64 Poemas

<< >>

Obsessão (21)

Os bosques para mim são como catedrais,/ Com orgãos a ulular, incutindo pavor.../ E os nossos corações, - jazidas sepulcrais,/ De profundis também soluçam, n'um clamor./ / Odeio do oceano as i...

Luz entre Sombras (22)

É noite medonha e escura,/ Muda como o passamento*/ Uma só no firmamento/ Trêmula estrela fulgura./ / Fala aos ecos da espessura/ A chorosa harpa do vento,/ E num canto sonolento/ Entre as árvores mu...

Luta (23)

Fluxo e refluxo eterno.../ João de Deus./ / Dorme a noite encostada nas colinas./ Como um sonho de paz e esquecimento/ Desponta a lua. Adormeceu o vento,/ Adormeceram vales e campinas.../ / Mas a mim...

Ao Longe, ao Luar (24)

Ao longe, ao luar,/ No rio uma vela,/ Serena a passar,/ Que é que me revela?/ / Não sei, mas meu ser/ Tornou-se-me estranho,/ E eu sonho sem ver/ Os sonhos que tenho./ / Que angústia me enlaça?/ Que ...

A Noite (25)

Mas a noite ventosa, a noite límpida/ que a lembrança somente aflorava, está longe,/ é uma lembrança. Perdura uma calma de espanto,/ feita também ela de folhas e de nada. Desse tempo/ mais distante q...

Dois Excertos de Odes (26)

(Fins de duas odes, naturalmente)/ / I / / Vem, Noite antiquíssima e idêntica, / Noite Rainha nascida destronada, / Noite igual por dentro ao silêncio, Noite / Com as estrelas lentejoulas rápidas / N...

Oh Retrato da Morte, oh Noite Amiga (27)

Oh retrato da morte, oh noite amiga/ Por cuja escuridão suspiro há tanto! / Calada testemunha do meu pranto, / Des meus desgostos secretária antiga!/ / Pois manda Amor, que a ti somente os diga, / Dá...

A Noite Suavemente Descia (28)

A noite/ Suavemente descia;/ E eu nos teus braços deitádo/ Até sonhei que morria./ / E via/ Goivos e cravos aos mólhos;/ Um Christo crucificado;/ Nos teus olhos,/ Suavidade e frieza;/ Damasco rôxo, c...

Nocturno (29)

Espírito que passas, quando o vento/ Adormece no mar e surge a Lua,/ Filho esquivo da noite que flutua,/ Tu só entendes bem o meu tormento.../ / Como um canto longínquo - triste e lento-/ Que voga e ...

Assovio (30)

Ninguém abra a sua porta/ para ver que aconteceu:/ saímos de braço dado,/ a noite escura mais eu./ / Ela não sabe o meu rumo, / eu não lhe pergunto o seu:/ não posso perder mais nada,/ se o que houve...
<< >>

Facebook

Inspirações

Conhecermo-nos

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE