36 Poemas

>>

Sentes, Pensas e Sabes que Pensas e Sentes (1)

Dizes-me: tu és mais alguma cousa/ Que uma pedra ou uma planta./ Dizes-me: sentes, pensas e sabes/ Que pensas e sentes./ Então as pedras escrevem versos?/ Então as plantas têm idéias sobre o mundo?/ ...

Não Temos Mais Decerto que o Instante (2)

Atrás não torna, nem, como Orfeu, volve/ Sua face, Saturno./ Sua severa fronte reconhece/ Só o lugar do futuro./ Não temos mais decerto que o instante/ Em que o pensamos certo./ Não o pensemos, pois,...

Dizem que em cada Coisa uma Coisa Oculta Mora (3)

Dizem que em cada coisa uma coisa oculta mora./ Sim, é ela própria, a coisa sem ser oculta,/ Que mora nela./ / Mas eu, com consciência e sensações e pensamento,/ Serei como uma coisa?/ Que há a mais ...

É Brando o Dia, Brando o Vento (4)

É brando o dia, brando o vento/ É brando o sol e brando o céu./ Assim fosse meu pensamento!/ Assim fosse eu, assim fosse eu!/ / Mas entre mim e as brandas glórias/ Deste céu limpo e este ar sem mim/ ...

Quando, Lídia, Vier o Nosso Outono (5)

Quando, Lídia, vier o nosso outono/ Com o inverno que há nele, reservemos/ Um pensamento, não para a futura/ Primavera, que é de outrem,/ Nem para o estio, de quem somos mortos,/ Senão para o que fic...

Angústia (6)

Tortura do pensar! Triste lamento!/ Quem nos dera calar a tua voz!/ Quem nos dera cá dentro, muito a sós, / Estrangular a hidra num momento!/ / E não se quer pensar! ... e o pensamento/ Sempre a mord...
Livro de Mágoas

Escavação (7)

Numa ânsia de ter alguma cousa,/ Divago por mim mesmo a procurar,/ Desço-me todo, em vão, sem nada achar,/ E a minh'alma perdida não repousa./ / Nada tendo, decido-me a criar:/ Brando a espada: sou l...

Pára-me de Repente o Pensamento (8)

Pára-me de repente o pensamento/ Como que de repente refreado/ Na doida correria em que levado/ Ia em busca da paz, do esquecimento.../ / Pára surpreso, escrutador, atento,/ Como pára m cavalo alucin...

Os Meus Pensamentos são Todos Sensações (9)

Sou um guardador de rebanhos./ O rebanho é os meus pensamentos/ E os meus pensamentos são todos sensações./ Penso com os olhos e com os ouvidos/ E com as mãos e os pés/ E com o nariz e a boca./ Pensa...

Floriram por Engano as Rosas Bravas (10)

Floriram por engano as rosas bravas/ No inverno: veio o vento desfolhá-las.../ Em que cismas, meu bem? Porque me calas/ As vozes com que há pouco me enganavas?/ Castelos doidos! Tão cedo caístes!.../...

Voz Interior (11)

(A João de Deus)/ / Embebido n'um sonho doloroso,/ Que atravessam fantásticos clarões,/ Tropeçando n'um povo de visões,/ Se agita meu pensar tumultuoso.../ / Com um bramir de mar tempestuoso/ Que até...

A Criança que Pensa em Fadas (12)

A CRIANÇA que pensa em fadas e acredita nas fadas/ Age como um deus doente, mas como um deus./ Porque embora afirme que existe o que não existe/ Sabe como é que as cousas existem, que é existindo,/ S...

Cansa Sentir Quando se Pensa (13)

Cansa sentir quando se pensa./ No ar da noite a madrugar/ Há uma solidão imensa/ Que tem por corpo o frio do ar./ / Neste momento insone e triste/ Em que não sei quem hei de ser,/ Pesa-me o informe r...

Já não Vivi, Só Penso (14)

Já não vivo, só penso. E o pensamento/ é uma teia confusa, complicada,/ uma renda subtil feita de nada:/ de nuvens, de crepúsculos, de vento./ / Tudo é silêncio. O arco-íris é cinzento,/ e eu cada ve...

A Casa Branca Nau Preta (15)

Estou reclinado na poltrona, é tarde, o Verão apagou-se... / Nem sonho, nem cismo, um torpor alastra em meu cérebro... / Não existe manhã para o meu torpor nesta hora... / Ontem foi um mau sonho que ...

Fúria nas Trevas o Vento (16)

Fúria nas trevas o vento/ Num grande som de alongar,/ Não há no meu pensamento/ Senão não poder parar./ / Parece que a alma tem/ Treva onde sopre a crescer/ Uma loucura que vem/ De querer compreender...

Elevação (17)

Por cima dos paúes, das montanhas agrestes,/ Dos rudes alcantis, das nuvens e do mar,/ Muito acima do sol, muito acima do ar,/ Para além do confim dos páramos celestes,/ / Paira o espírito meu com to...

A Voz que Nos Rasgou por Dentro (18)

De onde vem - a voz que/ nos rasgou por dentro, que/ trouxe consigo a chuva negra/ do outono, que fugiu por/ entre névoas e campos/ devorados pela erva?/ / Esteve aqui — aqui dentro/ de nós, como se ...

Inania Verba (19)

Ah! quem há de exprimir, alma impotente e escrava,/ O que a boca não diz, o que a mão não escreve?/ - Ardes, sangras, pregada a' tua cruz, e, em breve,/ Olhas, desfeito em lodo, o que te deslumbrava....

Nada Tem Sentido (20)

Nos altos ramos de árvores frondosas/ O vento faz um rumor frio e alto,/ Nesta floresta, em este som me perco/ E sozinho medito./ / Assim no mundo, acima do que sinto,/ Um vento faz a vida,...
>>

Facebook

© Copyright 2003-2017 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE