2 Poemas



Gargalhada (1)

Hornem vulgar! Homem de coração mesquinho!/ Eu te quero ensinar a arte sublime de rir./ Dobra essa orelha grosseira, e escuta/ o ritmo e o som da minha gargalhada:/ / Ah! Ah! Ah! Ah!/ Ah! Ah! Ah! Ah!...

Riso (2)

Tive o jeito de rir, quando menino,/ Até beber as lágrimas choradas:/ Com carantonhas, gestos, desatino,/ Passou a nuvem e os pequenos nadas./ / A rir de escuridões, de encruzilhadas,/ Tornei-me afei...


Facebook

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE