64 Poemas

>>

Tabacaria (1)

Não sou nada./ Nunca serei nada./ Não posso querer ser nada./ À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo./ / Janelas do meu quarto,/ Do meu quarto de um dos milhões do mundo que ninguém sabe...

Apesar das Ruínas (2)

Apesar das ruínas e da morte,/ Onde sempre acabou cada ilusão,/ A força dos meus sonhos é tão forte,/ Que de tudo renasce a exaltação/ E nunca as minhas mãos ficam vazias./ / Sophia de Mello Breyn...

Entre o Sono e Sonho (3)

Entre o sono e sonho,/ Entre mim e o que em mim/ É o quem eu me suponho/ Corre um rio sem fim./ / Passou por outras margens,/ Diversas mais além,/ Naquelas várias viagens/ Que todo o rio tem./ / Cheg...

Pedra Filosofal (4)

Eles não sabem que o sonho/ é uma constante da vida/ tão concreta e definida/ como outra coisa qualquer,/ como esta pedra cinzenta/ em que me sento e descanso,/ como este ribeiro manso/ em serenos so...

Põe-me as Mãos nos Ombros... (5)

Põe-me as mãos nos ombros.../ Beija-me na fronte.../ Minha vida é escombros,/ A minha alma insonte./ / Eu não sei por quê,/ Meu desde onde venho,/ Sou o ser que vê,/ E vê tudo estranho./ / Põe a tua ...

Che Guevara (6)

Contra ti se ergueu a prudência dos inteligentes e o arrojo/ [dos patetas/ A indecisão dos complicados e o primarismo/ Daqueles que c...

Sonho. Não Sei quem Sou (7)

Sonho. Não sei quem sou neste momento./ Durmo sentindo-me. Na hora calma/ Meu pensamento esquece o pensamento,/ Minha alma não tem alma./ / Se existo é um erro eu o saber. Se acordo/ Par...

Quem? (8)

Não sei quem és. Já não te vejo bem.../ E ouço-me dizer (ai, tanta vez!...)/ Sonho que um outro sonho me desfez?/ Fantasma de que amor? Sombra de quem?/ / Névoa? Quimera? Fumo? Donde vem?.../ - Não s...
A Mensageira das Violetas

Sonho (9)

Teria passado a vida/ atormentado e sozinho/ se os sonhos me não viessem/ mostrar qual é o caminho/ / umas vezes são de noite/ outras em pleno de sol/ com relâmpagos saltados/ ou vagar de caracol/ / ...

Durmo. Se Sonho, ao Despertar não Sei (10)

Durmo. Se sonho, ao despertar não sei/ Que coisas eu sonhei./ Durmo. Se durmo sem sonhar, desperto/ Para um espaço aberto/ Que não conheço, pois que despertei/ Para o que inda não sei./ Melhor é nem ...

Sopra o Sonho (11)

Sopra o sonho por dentro / Das pálpebras em viagem / Enceta o curso habitual nocturno / Num corredor sombrio de pestanas/ / Antes porém cumprimenta / Toda a matéria viva em que tropeça / Sabe o segre...

Noite de Sonhos Voada (12)

Noite de sonhos voada/ cingida por músculos de aço,/ profunda distância rouca/ da palavra estrangulada/ pela boca armodaçada/ noutra boca,/ ondas do ondear revolto/ das ondas do corpo dela/ tão domin...

Anoitecer (13)

A luz desmaia num fulgor d'aurora,/ Diz-nos adeus religiosamente.../ E eu, que não creio em nada, sou mais crente/ Do que em menina, um dia, o fui... outrora.../ / Não sei o que em mim ri, o que em m...
Livro de Sóror Saudade

Dorme Sobre o Meu Seio (14)

Dorme sobre o meu seio,/ Sonhando de sonhar.../ No teu olhar eu leio/ Um lúbrico vagar./ Dorme no sonho de existir/ E na ilusão de amar./ / Tudo é nada, e tudo/ Um sonho finge ser./ O ‘spaço negro é ...

Mergulha nos Sonhos (15)

mergulha nos sonhos/ ou um lema pode ser teu aluimento/ (as árvores são as suas raízes/ e o vento é o vento)/ / confia no teu coração/ se os mares se incendeiam/ (e vive pelo amor/ embora as estrelas...

Não o Sonho (16)

Talvez sejas a breve/ recordação de um sonho/ de que alguém (talvez tu) acordou/ (não o sonho, mas a recordação dele),/ um sonho parado de que restam/ apenas imagens desfeitas, pressentimentos./ Tamb...

A Flor do Sonho (17)

A Flor do Sonho, alvíssima, divina,/ Miraculosamente abriu em mim,/ Como se uma magnólia de cetim/ Fosse florir num muro todo em ruína./ / Pende em meu seio a haste branda e fina/ E não posso entende...
Livro de Mágoas

O Primeiro de Todos os Meus Sonhos (18)

o primeiro de todos os meus sonhos era sobre/ um amante e o seu único amor,/ caminhando devagar(pensamento no pensamento)/ por alguma verde misteriosa terra/ / até o meu segundo sonho começar—/ o céu...

O Andaime (19)

O tempo que eu hei sonhado/ Quantos anos foi de vida!/ Ah, quanto do meu passado/ Foi só a vida mentida/ De um futuro imaginado!/ / Aqui à beira do rio/ Sossego sem ter razão./ Este seu correr vazio/...

Quando Eu Sonhava (20)

Quando eu sonhava, era assim/ Que nos meus sonhos a via;/ E era assim que me fugia,/ Apenas eu despertava,/ Essa imagem fugidia/ Que nunca pude alcançar./ Agora, que estou desperto,/ Agora a vejo fix...
>>

Facebook

O que Junta as Pessoas

O mais doloroso nem é saber que levas outra pessoa para a cama. Estou-me, se queres que te diga, realmente nas tintas para isso. O mais doloroso é saber que tens outros ombros para pousar a cabeça: o...

Liberdade é Pouco

Liberdade é pouco. O que desejo ainda não tem nome. — Sou pois um brinquedo a quem dão corda e que terminada esta não encontrará vida própria, mais profunda. Procurar tranquilamente admitir que talve...
© Copyright 2003-2016 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE