23 Poemas

>>

A Melhor Maneira de Viajar é Sentir (1)

Afinal, a melhor maneira de viajar é sentir. / Sentir tudo de todas as maneiras. / Sentir tudo excessivamente, / Porque todas as coisas são, em verdade, excessivas / E toda a realidade é um excesso, ...

Viagem (2)

É o vento que me leva./ O vento lusitano./ É este sopro humano/ Universal/ Que enfuna a inquietação de Portugal./ É esta fúria de loucura mansa/ Que tudo alcança/ Sem alcançar./ Que vai de céu em céu...

Para Além da Curva da Estrada (3)

Para além da curva da estrada/ Talvez haja um poço, e talvez um castelo,/ E talvez apenas a continuação da estrada./ Não sei nem pergunto./ Enquanto vou na estrada antes da curva/ Só olho para a estr...

Ode Marítima (4)

Sozinho, no cais deserto, a esta manhã de Verão, / Olho pro lado da barra, olho pro Indefinido, / Olho e contenta-me ver, / Pequeno, negro e claro, um paquete entrando. / Vem muito longe, nítido, clá...

Opiário (5)

Ao Senhor Mário de Sá-Carneiro / / É antes do ópio que a minh'alma é doente. / Sentir a vida convalesce e estiola / E eu vou buscar ao ópio que consola / Um Oriente ao oriente do Oriente. / / Esta vi...

Na Véspera de não Partir Nunca (6)

Na véspera de não partir nunca / Ao menos não há que arrumar malas / Nem que fazer planos em papel, / Com acompanhamento involuntário de esquecimentos, / Para o partir ainda livre do dia seguinte. / ...

Poema da Auto-estrada (7)

Voando vai para a praia/ Leonor na estrada preta./ Vai na brasa, de lambreta./ / Leva calções de pirata,/ Vermelho de alizarina,/ modelando a coxa fina/ de impaciente nervura./ Como guache lustroso,/...

A Secreta Viagem (8)

No barco sem ninguém, anónimo e vazio,/ ficámos nós os dois, parados, de mão dada.../ Como podem só dois governar um navio?/ Melhor é desistir e não fazermos nada!/ / Sem um gesto sequer, de súbito e...

Nunca, por Mais (9)

Nunca, por mais que viaje, por mais que conheça / O sair de um lugar, o chegar a um lugar, conhecido ou desconhecido, / Perco, ao partir, ao chegar, e na linha móbil que os une, / A sensação de arrep...

Là-bas, Je Ne Sais Où... (10)

Véspera de viagem, campainha... / Não me sobreavisem estridentemente! / Quero gozar o repouso da gare da alma que tenho / Antes de ver avançar para mim a chegada de ferro / Do comboio definitivo, / A...

Ciganos em Viagem (11)

A tribo que prevê a sina dos viventes/ Levantou arraiais hoje de madrugada;/ Nos carros, as mulher', c'o a torva filharada/ Às costas ou sugando os mamilos pendentes;/ / Ao lado dos carrões, na pedre...

Poema da Morte na Estrada (12)

Na berma da estrada, nuns quinhentos metros,/ estão quinhentos mortos com os olhos abertos./ / A morte, num sopro, colheu-os aos molhos./ Nem tiveram tempo para fechar os olhos./ / Eles bem sabiam do...

A França! (13)

Vou sobre o Oceano (o luar de lindo enleva!)/ Por este mar de Gloria, em plena paz./ Terras da Patria somem-se na treva,/ Agoas de Portugal ficam, atraz.../ / Onde vou eu? Meu fado onde me leva?/ Ant...

Escrito num Livro Abandonado em Viagem (14)

Venho dos lados de Beja. / Vou para o meio de Lisboa. / Não trago nada e não acharei nada. / Tenho o cansaço antecipado do que não acharei, / E a saudade que sinto não é nem no passado nem no futuro....

O Frio Especial (15)

O frio especial das manhãs de viagem, / A angústia da partida, carnal no arrepanhar / Que vai do coração à pele, / Que chora virtualmente embora alegre. / / Álvaro de Campos, in Poemas / Hete...

Continua a Tempestade (16)

Aqui, sobre estas aguas cor de azeite,/ Scismo em meu lar, na paz que lá havia:/ Carlota, á noite, ia ver se eu dormia/ E vinha, de manhã, trazer-me o leite.../ / Aqui, não tenho um unico deleite!/ T...

Em Viagem (17)

Pelo caminho estreito, aonde a custo/ Se encontra uma só flor, ou ave, ou fonte,/ Mas só bruta aridez de áspero monte/ E os soes e a febre do areal adusto,/ / Pelo caminho estreito entrei sem susto/ ...

Tempestade! (18)

O meu beliche é tal qual o bercinho,/ Onde dormi horas que não vêm mais./ Dos seus embalos já estou cheiinho:/ Minha velha ama são os vendavaes!/ / Uivam os ventos! Fumo, bebo vinho./ O vapor treme! ...

Em Viagem (19)

Desde aquela dor tamanha / Do momento em que parti / Um só prazer me acompanha, / Filha, o de pensar em ti:/ / Por sobre a negra paisagem / Do meu ermo coração / O luar branco da tua imagem / Veste u...

O Florir (20)

O florir do encontro casual / Dos que hão sempre de ficar estranhos... / / O único olhar sem interesse recebido no acaso / Da estrangeira rápida ... / / O olhar de interesse da criança trazida pela m...
>>

Facebook

.
© Copyright 2003-2017 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE