137 Poemas

<< >>

Pergunto-te Onde se Acha a Minha Vida (21)

Pergunto-te onde se acha a minha vida./ Em que dia fui eu. Que hora existiu formada/ de uma verdade minha bem possuída./ / Vão-se as minhas perguntas aos depósitos do nada./ / E a quem é que pergunto...

Poema da Utopia (22)

A noite caiu sem manchas e sem culpa. / / Os homens tiraram as máscaras de bons actores./ / Findou o espectáculo. Tudo o mais é arrabalde./ / No alto, a utópica lua, vela comigo/ e sonha inutilmente ...

Breves São os Anos (23)

No breve número de doze meses/ O ano passa, e breves são os anos,/ Poucos a vida dura./ Que são doze ou sessenta na floresta/ Dos números, e quanto pouco falta/ Para o fim do futuro!/ Dois terços já,...

Da Vida... não Fales Nela (24)

Da vida... não fales nela,/ quando o ritmo pressentes./ Não fales nela que a mentes./ / Se os teus olhos se demoram/ em coisas que nada são,/ se os pensamentos se enfloram/ em torno delas e não/ em t...

As Coisas Transitórias (25)

Irmão,/ nada é eterno, nada sobrevive./ Recorda isto, e alegra-te./ / A nossa vida/ não é só a carga dos anos./ A nossa vereda/ não é só o caminho interminável./ Nenhum poeta tem o dever/ de cantar a...

Opiário (26)

Ao Senhor Mário de Sá-Carneiro / / É antes do ópio que a minh'alma é doente. / Sentir a vida convalesce e estiola / E eu vou buscar ao ópio que consola / Um Oriente ao oriente do Oriente. / / Esta vi...

A Vida (27)

A vida, as suas perdas e os seus ganhos, a sua/ mais que perfeita imprecisão, os dias que contam/ quando não se espera, o atraso na preocupação/ dos teus olhos, e as nuvens que caíram/ mais depressa,...

Sou Eu (28)

Sou eu, eu mesmo, tal qual resultei de tudo, / Espécie de acessório ou sobressalente próprio, / Arredores irregulares da minha emoção sincera, / Sou eu aqui em mim, sou eu. / / Quanto fui, quanto não...

Por Todos os Caminhos do Mundo (29)

A minha poesia é assim como uma vida que vagueia/ pelo mundo,/ / por todos os caminhos do mundo,/ desencontrados como os ponteiros de um relógio v...

O Andaime (30)

O tempo que eu hei sonhado/ Quantos anos foi de vida!/ Ah, quanto do meu passado/ Foi só a vida mentida/ De um futuro imaginado!/ / Aqui à beira do rio/ Sossego sem ter razão./ Este seu correr vazio/...

Grandes São os Desertos, e Tudo é Deserto (31)

Grandes são os desertos, e tudo é deserto. / Não são algumas toneladas de pedras ou tijolos ao alto / Que disfarçam o solo, o tal solo que é tudo. / Grandes são os desertos e as almas desertas e gran...

Meu Ser Evaporei na Luta Insana (32)

Meu ser evaporei na luta insana / Do tropel de paixões que me arrastava: / Ah! cego eu cria, ah! mísero eu sonhava / Em mim quasi imortal a essência humana!/ / De que inúmeros sóis a mente ufana / Ex...

Poema para Iludir a Vida (33)

Tudo na vida está em esquecer o dia que passa./ Não importa que hoje seja qualquer coisa triste,/ um cedro, areias, raízes,/ ou asa de anjo/ caída num paul./ O navio que passou além da barra/ já não ...

Melhor Vida é a Vida que Dura sem Medir-se (34)

Não quero recordar nem conhecer-me./ Somos demais se olhamos em quem somos./ Ignorar que vivemos/ Cumpre bastante a vida./ / Tanto quanto vivemos, vive a hora/ Em que vivemos, igu...

Os Anos são Degraus (35)

Os anos são degraus, a Vida a escada./ Longa ou curta, só Deus pode medi-la./ E a Porta, a grande Porta desejada,/ só Deus pode fechá-la,/ pode abri-la./ / São vários os degraus; alguns sombrios,/ ou...

Vida (36)

Vida:/ sensualíssima mulher de carnes maravilhosas/ cujos passos são horas/ cadenciadas/ rítmicas/ fatais./ A cada movimento do teu corpo/ dispersam asas de desejos/ que me roçam a pele/ e encrespam ...

A Morte o Amor a Vida (37)

Julguei que podia quebrar a profundeza a/ [imensidade/ Com o meu desgosto nu sem contacto sem eco/ Estendi-me na minha prisão de portas ...

A Minha Vida é um Barco Abandonado (38)

A minha vida é um barco abandonado/ Infiel, no ermo porto, ao seu destino./ Por que não ergue ferro e segue o atino/ De navegar, casado com o seu fado?/ / Ah! falta quem o lance ao mar, e alado/ Torn...

Vida Sempre (39)

Entre a vida e a morte há apenas/ o simples fenómeno/ de uma subtil transformação. A morte/ não é morte da vida./ A morte não é inação, inutilidade./ A morte é apenas a face obscura,/ mínima, em gest...

Caravelas (40)

Cheguei a meio da vida já cansada/ De tanto caminhar! Já me perdi!/ Dum estranho país que nunca vi/ Sou neste mundo imenso a exilada./ / Tanto tenho aprendido e não sei nada./ E as torres de marfim q...
Livro de Sóror Saudade
<< >>

Facebook

.
© Copyright 2003-2017 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE