João Rui de Sousa

Portugal
n. 12 Out 1928
Poeta

Traço Escuro

Quando os dias sangram
e a parede branca é conspurcada
com o carvão das brumas,
com o arquejar de quem, frágil, flutua
entre as vides do sol e o langor
das luas,
apago as luzes todas e o caminho
torna-se um traço escuro que ressoa.

João Rui de Sousa, in 'Quarteto para as Próximas Chuvas'




Outros Poemas de João Rui de Sousa:

Facebook

Inspirações

Amor Sem Palavras

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE