Teixeira de Pascoaes

Portugal
8 Nov 1877 // 14 Dez 1952
Poeta

Trágica Recordação

Meu Deus! meu Deus! quando me lembro agora
De o ver brincar, e avisto novamente
Seu pequenino Vulto transcendente,
Mas tão perfeito e vivo como outrora!

Julgo que ele ainda vive; e que, lá fóra,
Fala em voz alta e brinca alegremente,
E volve os olhos verdes para a gente,
Dois berços de embalar a luz da aurora!

Julgo que ele ainda vive, mas já perto
Da Morte: sombra escura, abysmo aberto...
Pesadêlo de treva e nevoeiro!

Ó visão da Creança ao pé da Morte!
E a da Mãe, tendo ao lado a negra sorte
A calcular-lhe o golpe traiçoeiro!

Teixeira de Pascoaes, in 'Elegias'
// Consultar versos e eventuais rimas




Facebook

Inspirações

O que Conta na Vida

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE