Zeca Afonso

Portugal
2 Ago 1929 // 23 Fev 1987
Cantor / Compositor

Verdade e Mentira

Neste livro do mundo
      Quase perfeito
Preto e branco irmanados
      De igual jeito
Quem não foi a tribunal
      Quem teve mão
      Nos juizes da Santa Inquisição?

Em menino te ensinaram
Mentiras que a morte leva
Para outra morte bem longe
De pensares que outra contrária
Com a tua se aglomera
Neste livro de concórdia
Só tem guarida o Infinito
Por Giordano Bruno amado
Como se fora seu filho
Acima da besta fera
Que na fogueira o lançava
Aquela verdade brilha
A morte à morte diziam
Os que não adivinhavam
Que era verdade a mentira
Até o Mar se acomoda
E paciente requebra
Enquanto gritas à toa
A tua verdade cega
Conta as areias da praia
O grande mago do mundo?
      Só não mente quem não sente
      Que o mistério não tem fundo

Zeca Afonso, in 'Textos e Canções'




Outros Poemas de Zeca Afonso:

Facebook

Inspirações

A Boa Sorte

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE