Versos: Carta a Manoel

132 Versos

>>

"Manoel, tens razão. Venho tarde. Desculpa"
Autor - António Nobre
//VER DETALHE
"Mas não foi Anto, não fui eu quem teve a culpa"
Autor - António Nobre
//VER DETALHE
"Foi Coimbra. Foi esta paysagem triste, triste"
Autor - António Nobre
//VER DETALHE
"A cuja influencia a minha alma não reziste"
Autor - António Nobre
//VER DETALHE
"Queres noticias? Queres que os meus nervos fallem"
Autor - António Nobre
//VER DETALHE
"Vá! dize aos choupos do Mondego que se callem"
Autor - António Nobre
//VER DETALHE
"E pede ao vento que não uive e gema tanto:"
Autor - António Nobre
//VER DETALHE
"Que, emfim, se soffre abafe as torturas em pranto"
Autor - António Nobre
//VER DETALHE
"Mas que me deixe em paz! Ah tu não imaginas"
Autor - António Nobre
//VER DETALHE
"Quanto isto me faz mal! Peor que as sabbatinas"
Autor - António Nobre
//VER DETALHE
>>

Nota:
As rimas são obtidas com base nas últimas 3 letras da palavra, e não com base na fonética.

Facebook

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE