Papa Francisco

Argentina
n. 17 Dez 1936
Papa da Igreja Católica

A Aceitação da Diversidade

Um verdadeiro crescimento na consciência da humanidade não pode basear-se noutra coisa senão na prática do diálogo e do amor. Diálogo e amor pressupõem o reconhecimento do outro como outro, a aceitação da diversidade. Só assim se pode fundar o valor da comunidade: não pretendendo que o outro se subordine aos meus critérios e prioridades, não «absorvendo» o outro, mas sim reconhecendo como valioso o que o outro é, e celebrando essa diversidade que nos enriquece a todos. O contrário é simples narcisismo, imperialismo, pura estupidez.
Isto também deve ser lido na direção inversa: como posso dialogar, como posso amar, como posso construir algo comum, se deixo diluir-se, perder-se, desaparecer o que seria o meu contributo? A globalização como imposição unidirecional e uniformizadora de valores, práticas e mercadorias vai de mãos dadas com a integração entendida como imitação e subordinação cultural, intelectual e espiritual. Então, nem profetas do isolamento, eremitas localistas num mundo global, nem passageiros descerebrados e miméticos da última carruagem, admirando os fogos-de-artifício do Mundo (dos outros) com a boca aberta e aplausos programados. Os povos, ao integrarem--se no diálogo global, trazem os valores da sua cultura e têm de os defender de toda a absorção desmedida ou «síntese de laboratório» que os dilua «no comum», «no global». E - ao trazer estes valores -recebem de outros povos, com o mesmo respeito e dignidade, as culturas que lhe são próprias.

Papa Francisco, in 'Conversas com Jorge Bergoglio'




Facebook

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE