Henry Miller

Estados Unidos
26 Dez 1891 // 7 Jun 1980
Escritor

A Arte e a Vida

Todos nós sabemos, quando fazemos algo, o quanto deixámos de fora, o quão grandemente falhámos, e carregamos dentro de nós uma imagem da coisa perfeita que falhou na materialização, e isso nós encaramos como o poema, isso é o que pedimos que nos reconheçam. Isso é o nosso orgulho, o nosso ego, exigindo completo reconhecimento.

E é difícil separar a obra de arte do homem ou da mulher que a produziu. Tendemos a confundir os dois. No fim de contas, suponho, a história da luta que o artista atravessou para dar à luz a sua ideia é tão patente, tão intensa, que mesmo que queiramos permanecer críticos — às vezes — vemos que é quase impossível fazê-lo. Mas só porque a arte não é vida, só porque a arte é uma criação tão inextrincavelmente ligada à vida, precisamos de fazer grandes esforços para isolar o elemento da arte em vez do elemento da vida. Por vezes, parece-me quase ridículo dizermos que este homem é mais humano do que aquele, que revela mais da vida, etc., no seu trabalho.

Como pode alguém realmente dizer isso... se levarmos isto ao limite? Porque o último movimento da caneta é revelador... Tudo é revelação. É tudo um registo claro — para aquele que consegue ler — da luta entre o indivíduo e a vida. Exactidão e autenticidade... Estas são palavras que exprimem o grau da relação vital entre as duas, arte e vida, o grau de medida da luta.

Henry Miller, in "Carta de Henry Miller a Anais Nin, 1933"




Facebook

Inspirações

Amar Produndamente

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE