Khalil Gibran

Líbano
6 Jan 1883 // 10 Abr 1931
Ensaísta/Filósofo/Poeta

A Base do Casamento

O casamento não permite que um escravize o outro - excepto nas áreas em que esse outro permita ser subjugado. Tampouco dá outra liberdade além daquela que ele resolveu permitir. Só podemos receber aquilo que damos.
Para as pessoas inteligentes, a base do casamento é uma genuína amizade, onde se luta pelos próprios sonhos, e pelos sonhos da pessoa a quem se ama. Sem estes sonhos, a relação matrimonial transforma-se numa série de almoços e jantares na cozinha da casa.
Não existem duas almas iguais. Na amizade e no amor, os dois levantam as mãos juntos para agarrar uma coisa que não poderiam alcançar se estivessem separados.
A velha frase da cerimónia do matrimónio - «Recebe fulano de tal, na saúde ou na doença» etc... - é totalmente absurda. Como pode alguém receber outro? Um dos dois deixaria de existir - ou, melhor ainda, os dois juntos perderiam a sua identidade própria.

Khalil Gibran, in 'Carta a Mary Haskell, 26 de Maio de 1923'




Facebook

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE