Jean-Baptiste Morvan de Bellegarde

França
30 Ago 1648 // 26 Abr 1734
Historiador/Escritor moralista

A Delicadeza de Expressão

As regras e os preceitos não são de grande ajuda para se aprender a falar delicadamente, se a natureza não concorrer para isso. A delicadeza de que falo é menos o efeito da arte do que de uma imaginação viva e venturosa, que sem se esforçar encontra termos apropriados para exprimir aquilo que se pensou; mas, para falar delicadamente, é necessário pensar delicadamente. A maioria das mulheres de qualidade que têm muito espírito e frequentam a sociedade falam com delicadeza, e embora não inventem palavras novas, colocam tão bem os termos de que se servem, que eles parecem inteiramente novos e feitos especialmente para significar o que elas querem dizer. Elas exprimem todo um sentimento numa única palavra, e deixam ainda mil coisas agradáveis a adivinhar; é nisso que consiste a tal delicadeza da expressão. Ela não consiste de modo algum em palavras grandiosas, num longo agrupamento de palavras harmoniosas, em frases muito rebuscadas; é necessário não sei quê de natural, de desenvolto, de simples, de ingénuo, de fácil, mas vivo e engenhoso.

Jean-Baptiste Morvan de Bellegarde, in 'Reflexões Sobre a Elegância e a Polidez do Estilo'




Outros Textos de Jean-Baptiste Morvan de Bellegarde:

Facebook

Inspirações

Amor Microscópico

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE