Friedrich Wilhelm Nietzsche

Alemanha
15 Out 1844 // 25 Ago 1900
Filósofo

125 Textos

>>

Aprender a Ver (1)

Aprender a ver - habituar os olhos à calma, à paciência, ao deixar-que-as-coisas-se-aproximem-de-nós; aprender a adiar o juízo, a rodear e a abarcar o caso particular a partir de todos os lado...
Crepúsculo dos Ídolos

O Que se Pode Prometer (2)

Pode-se prometer acções, mas não sentimentos, pois estes são involuntários. Quem promete a alguém amá-lo sempre, ou odiá-lo sempre, ou ser-lhe sempre fiel, promete algo que não está em seu poder; mas...
Humano, Demasiado Humano

A Fragilidade dos Valores (3)

Todas as coisas «boas» foram noutro tempo más; todo o pecado original veio a ser virtude original. O casamento, por exemplo, era tido como um atentado contra a sociedade e pagava-se uma multa, por te...
A Genealogia da Moral

A Vida não me Desapontou (4)

Não, a vida não me desapontou! Pelo contrário, todos os anos a acho melhor, mais desejável, mais misteriosa... desde o dia em que vejo a mim a grande libertadora, a ideia de que a vida podia ser expe...
A Gaia Ciência

Cada um Tem o Seu Conceito de Felicidade (5)

Muita gente só é capaz de uma felicidade reduzida: o facto de a sua sensatez não poder proporcionar-lhes mais felicidade não constitui um argumento contra ela, não mais do que se deve ver um argument...
Aurora

É Preciso Aprender a Amar (6)

Que se passa para nós no domínio musical? Devemos em primeiro lugar aprender a ouvir um motivo, uma ária, de uma maneira geral, a percebê-lo, a distingui-lo, a limitá-lo e isolá-lo na sua vida...
A Gaia Ciência

A Genética Condiciona a Felicidade (7)

Uma era de felicidade simplesmente não é possível porque as pessoas querem apenas desejá-la, mas não possuí-la, e cada indivíduo aprende durante os seus bons tempos a de facto rezar por inquietações ...
Humano, Demasiado Humano

O Caminho da Felicidade (8)

Um sábio perguntava a um louco qual era o caminho da felicidade. O louco respondeu-lhe imediatamente, como alguém a quem se pergunta o caminho da cidade vizinha: «Admira-te a ti mesmo e vive na rua»....
A Gaia Ciência

Os Fortes Aspiram a Separar-se e os Fracos a Unir-se (9)

O crescimento da comunidade frutifica no indivíduo um interesse novo que o aparta da sua pena pessoal, da sua aversão à sua própria pessoa. Todos os doentes aspiram instintivamente a organizar-se em ...
A Genealogia da Moral

O Amor ao Próximo (10)

Vós outros andais muito solícitos em redor do próximo, e a vossa solicitude exprime-se em belas palavras. Mas eu vos digo: o vosso amor ao próximo é apenas o vosso mau amor por vós próprios.
É...
Assim Falava Zaratustra

Não Seremos Capazes de Modificar um Único Homem (11)

Deixemos pois de pensar mais em punir, em censurar e em querer melhorar! Não seremos capazes de modificar um único homem; e se alguma vez o conseguíssemos seria talvez, para nosso espanto, para nos d...
A Gaia Ciência

A Necessidade do Próximo (12)

Nós só sentimos agrado para com os semelhantes - ou seja pelas imagens de nós próprios - quando sentimos comprazimento connosco. E quanto mais estamos contentes connosco, mais detestamos o que nos é ...
A Vontade de Poder

Mais Vale Ser Surdo que Ensurdecido (13)

Antigamente as pessoas queriam criar-se uma reputação: isso já não basta, a feira tornou-se demasiado vasta; agora é necessário vender aos berros. A consequência é que mesmo as melhores gargantas for...
A Gaia Ciência

Ser Injusto é Necessário (14)

Todos os juízos acerca do valor da vida se desenvolveram ilogicamente e são, por isso, injustos. A impureza do juízo encontra-se, em primeiro lugar, na maneira como o material se apresenta, isto é, m...
Humano, Demasiado Humano

O Valor Natural do Egoísmo (15)

O egoísmo vale o que valer fisiologicamente quem o pratica: pode ser muito valioso, e pode carecer de valor e ser desprezível. E lícito submeter a exame todo o indivíduo para se determinar se ...
Crepúsculo dos Ídolos

Os Quatro Erros (16)

A educação do homem foi feita pelos seus erros: em primeiro lugar, ele nunca se viu senão imperfeitamente; em seguida, atribuiu-se qualidades imaginárias; em terceiro, sentiu-se em relações falsas di...
A Gaia Ciência

Escolhe Inimigos Que Te Mereçam (17)

Gosto dos valentes; mas não basta bater a torto e a direito; é preciso saber ainda no que se bate. E muitas vezes há mais coragem em se conter e passar adiante, a fim de se reservar para um adversári...
Assim Falava Zaratustra

Todo o Grande Homem é Céptico (18)

Todo o grande homem é, necessariamente, céptico, ainda que possa não o mostrar: pelo menos se a grandeza dele consistir em querer uma coisa grande e grandes meios para realizá-la. A liberdade em rela...
A Vontade de Poder

A Comédia do Ambicioso (19)

Um homem que aspira a coisas grandes considera todo aquele que encontra no seu caminho, ou como meio, ou como retardamento e impedimento, - ou como um leito de repouso passageiro. A sua "bondade" par...
Para Além do Bem e do Mal

A Vantagem do Esquecimento (20)

O esquecimento não é só uma vis inertioe, como crêem os espíritos superfinos; antes é um poder activo, uma faculdade moderadora, à qual devemos o facto de que tudo quanto nos acontece na vida,...
A Genealogia da Moral
>>

Facebook

O Amor na Lama

- Esteban, o homem não poderia fazer grandes obras sem trabalhos pequenos; na maqueta do carpinteiro está todo o edifício do arquiteto, não há profissões grandes e pequenas: alegro-me que tenhas deci...

O que é um Artista?

O que vocês pensam que um artista é? Um imbecil que só tem olhos, se é um pintor, ou ouvidos se é um músico, ou uma lira em cada câmara do seu coração, se é um poeta, ou mesmo, se ele é um pugilista,...
© Copyright 2003-2016 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE