Thomas Bernhard

Austria
9 Fev 1931 // 12 Fev 1989
Escritor

18 Textos



A Força do Preconceito (1)

Nós em teoria compreendemos as pessoas, mas na prática não as suportamos, pensei, na maior parte das vezes só a contragosto lidamos com elas, e tratamo-las sempre de acordo com o nosso próprio ponto ...

Títulos e Diplomas (2)

Parece que a humanidade só se esforça enquanto tem a esperar diplomas idiotas, que pode exibir em público para obter proveitos, mas, quando já tem na mão tais diplomas idiotas em número suficiente, d...

A Importância da Arrogância (3)

A arrogância não é nenhum meio adequado para se chegar a qualquer forma de entendimento com as pessoas que nos rodeiam e que menosprezamos, pelo que nos são insuportáveis. Mas, se não tivéssemos a ar...

O Teatro do Trabalho (4)

A maior parte da humanidade, sobretudo na Europa Central, simula trabalho, faz ininterruptamente teatro com o trabalho e aperfeiçoa até à idade avançada esse trabalho teatralizado, que tem tão pouco ...

A Importância da Segunda Leitura (5)

Há escritores, dissera eu a Gambetti, que entusiasmam o leitor, quando este os lê pela segunda vez, em muito mais alto grau do que na primeira vez, com Kafka sempre me acontece assim. Conservo Kafka ...

Estudar em Ambiente Adverso (6)

Se o ambiente em que estudamos nos é adverso estudamos melhor do que num que nos seja propício, quem estuda faz sempre bem em escolher um local de estudo que lhe seja adverso, e não um que lhe seja p...

Fracasso e Inactividade (7)

Nós temos de tomar sempre em conta o fracasso, senão acabamos abruptamente na inactividade, pensei eu, assim como, fora da nossa cabeça, não há nada contra que tenhamos de proceder com mais decisão d...

O Espírito Negativo dos Filósofos (8)

Ficam reduzidos a uma única frase bem sucedida os nossos grandes filósofos, os nossos maiores poetas, dizia ele, é essa a verdade, lembramo-nos muitas vezes apenas daquilo a que se chama uma tonalida...

Treinado em Estar Só (9)

Sim, é horrível, mas acho que necessitamos, temos que... ter contactos. Não pode ser de outra maneira... Enfim, quanto menos melhor. E assim cada um vai tecendo o jersey da sua vida, uns com mais pon...

A Vida Pouco Mais Tem que Inconvenientes (10)

Não a considero agradável. Quero dizer que a vida, em si e por si, pouco mais tem do que inconvenientes. Durante a juventude, pegue-se-lhe por onde se lhe pegar, é horrível: não há onde a gente se ag...

As Minhas Coisas Estão Escritas de uma Forma que não Envelhece (11)

Anda-se de um lado para o outro, ao sabor da corrente. É esse o melhor acicate e impulso vital que se pode ter. Quem se limita a amar está perdido. Se se limita a odiar está igualmente perdido. Não s...

A Escrita é Também uma Droga (12)

Toda a gente sabe o que um escritor faz. Assim como as vacas comem forragem, os escritores comem ideias. Se são sempre as mesmas ou se variam, é coisa que não depende deles. Trata-se de uma inspiraçã...

A Melancolia é um Estado de Espírito Muito Belo (13)

A melancolia é um estado de espírito muito belo. Rendo-me a ela de bom grado e com grande facilidade. Pouco ou nada no campo, onde trabalho, mas instantaneamente na cidade. Nada mais belo, a meus olh...

O que Mais me Convém é Estar Só (14)

O que mais me convém é estar só. Considero realmente esse estado como o ideal. A minha casa é na verdade uma prisão gigantesca. Isso agrada-me muito. Na medida do possível, paredes nuas. Nuas e frias...

Não Sou um Escritor, Sou alguém que Escreve (15)

Ignoro o sentido que as pessoas dão ao vocábulo «escritor», mas tudo o que possam imaginar é seguramente falso... No que me diz respeito, não sou um escritor, sou alguém que escreve... Por outro lado...

A Dificuldade Está em Começar (16)

A dificuldade está em começar. Para o imbecil, não é uma dificuldade, ele ignora-a. Fabrica filhos ou livros, faz um filho, um livro no qual multiplica, ininterruptamente, filhos e livros. É-lhe indi...

Fazer-se Compreender não Existe (17)

Fazer-se compreender não existe, é impossível. Resulta daí uma solidão pior, a de se estar separado de tudo por se ter consciência da própria solidão. Por fim, muda-se de teatro cada vez com mais fre...

Nunca Acabar Coisa Alguma (18)

Respeitável público: aquilo de que falamos é um domínio inexplorado. Não vivemos; no entanto, calculamos e existimos como hipócritas, frontalmente feridos, no equívoco fatal e finalmente letal da nat...


Facebook

© Copyright 2003-2018 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE