Rafael Chirbes

Espanha
27 Jun 1949 // 15 Ago 2015
Escritor

O Preço do Amor

Não é fácil estar apaixonado por uma mulher e fazer alguma coisa de jeito. És devorado pela ansiedade. Não convém deixares-te embeiçar por uma mulher que se mostre difícil de conquistar, isso é como passar o resto da vida a tentar escalar o Everest. Escolhe uma mulher que possas conservar sem muito esforço. Quanto a mulheres boas, podemos comprá-las. Por meia dúzia de euros, arranjas uma russa de dezoito anos, dessas que nem nos filmes se veem. Fodes, pagas e regressas a casa para jantar com a família, com a tua mulher, que cozinha bem e fode mal, mas que não lhe passa pela cabeça separar-se de ti, entre outras coisas porque ninguém a olha com particular interesse. Ela vai às reuniões de pais na escola, controla as AMPAS, as APLAS, todas essas associações que nem sei como se chamam, esses serviços, esse jargão, esse lixo social-democrata que os do PP copiam com entusiasmo porque soa a família moderna e feliz, e também um pouco a Opus Dei, e mete os miúdos na ordem e sabe escolher o detergente mais eficaz no Mercadona e o melhor queijo e o melhor foie gras de fabrico próprio da charcutaria. Passa-te as camisas a ferro e cose-te os botões. Ou sabe orientar a criada nessas tarefas, a mesma criada que selecionou depois de a ter submetido a mais provas do que a um atleta olímpico. É de uma assim que um tipo precisa, pois não é fácil conviver com uma mulher que te domina e te obriga a tratar da comida e da roupa e que além disso é insaciável na cama e te fode até à exaustão. Uma dessas ninguém aguenta.

Rafael Chirbes, in 'Na Margem'




Facebook

© Copyright 2003-2018 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE