Florbela Espanca

Portugal
8 Dez 1894 // 8 Dez 1930
Poetisa

Podia Ser Alguém na Sociedade Portuguesa

Não me esteja assim tão reconhecido pois tenho a consciência que o não mereço. Que fiz eu? Nada ou quase nada. Tenho pena, hoje que vou envelhecendo, de ter fugido a sete pés de todas as cabotinagens e de ter vivido mais para mim, segundo o meu gosto, do que para os outros. Podia ser alguém hoje na sociedade portuguesa. Tudo desdenhei: as homenagens baratas e os clamores do rebanho. Enchi o meu gabinete de trabalho de livros bons, a minha vida moral com a minha arte, a meu gosto, sem me preocupar com o sucesso, com o mercado, com a publicidade, coisas imprescindíveis a quem quer vencer, e rodeei-me duma dúzia de amigos fanáticos cuia admiração me orgulha e me faz bem.

Florbela Espanca, in 'Correspondência (1928)'




Facebook

© Copyright 2003-2017 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE