James Joyce

Irlanda
2 Fev 1882 // 13 Jan 1941
Escritor

Quero Dar-te Todo o Prazer e Alegria

Minha querida,
São quase duas da manhã. Tenho as mãos a tremer de frio, porque tive de sair para ir buscar as minhas irmãs a uma festa; e agora tenho de ir a pé aos Correios Centrais. Mas não quero que o meu amor fique sem a sua carta matinal.
O ornamento que mandei fazer expressamente para ti está agora bem seguro no meu bolso. Tenho-o mostrado a toda a gente, para que todos saibam que te amo, querida, e que penso em ti e que te quero homenagear.
Há uma hora estive a cantar a tua canção, «The Lass of Aughrim». Vêm-me as lágrimas aos olhos e a minha voz treme de emoção quando canto essa bonita ária. Valeu a pena vir à Irlanda só para a ouvir da tua pobre e querida mãe — de quem gosto muito.
Só na arte, querida Nora, é que nós os dois encontraremos consolo para o nosso amor. Gostava de te ver rodeada de tudo o que é belo, nobre e elegante em arte. Tu não és, ao contrário do que dizes, uma pobre rapariga sem instrução. És a minha noiva, querida, e quero dar-te todo o prazer e alegria que me for possível nesta vida.

James Joyce, in 'Cartas a Nora (31 de Agosto de 1909)'




Facebook

Inspirações

Amar Produndamente

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE