Khalil Gibran

Líbano
6 Jan 1883 // 10 Abr 1931
Ensaísta/Filósofo/Poeta

Tempo

E um astrónomo disse: «Mestre, e sobre o Tempo?»

E ele respondeu:

Mediríeis o tempo sem medida e sem fim.

Ajustaríeis a vossa conduta e até dirigiríeis o rumo do vosso espírito de acordo com as horas e as estações.

Do tempo faríeis um riacho, à margem do qual vos sentaríeis a contemplar o seu curso.

Ainda assim, o intemporal que há em vós sabe bem da intemporalidade da vida,

E sabe que o ontem não é senão uma memória de hoje, e o amanhã é o sonho deste hoje que vivemos.

E aquilo que em vós canta e contempla, ainda vive nos limites daquele primeiro momento, que semeou as estrelas pelo espaço.

Quem entre vós não sente que o seu poder de amar é infinito?

No entanto, quem não sente que esse amor autêntico, apesar de infinito e encerrado dentro de si mesmo, não se move de um pensamento de amor para outro, nem de um ato de amor para outro ato de amor?

E não é o tempo como o amor, uno e imóvel?

Mas se, nos vossos pensamentos, tendes de medir o tempo em estações, deixai que cada estação abrace todas as outras,

E deixai que o hoje abrace o passado com lembrança e o futuro com esperança.

Khalil Gibran, in 'O Profeta (tradução de José Luís Nunes Martins)'




Facebook

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE