Publicidade

Baptista-Bastos

Publicidade
A insistência doentia, quase hora a hora, no futebol, nos comentários, nas previsões, nas análises remove do português comum qualquer reflexão acerca da sua própria situação social. As agendas dos jornais, os alinhamentos e as opções das televisões e das rádios merecem uma vigilância crítica dos próprios profissionais. O que não existe. Manifesta-se uma total subserviência aos imperativos do que dizem ser as exigências do público. É uma velha pecha e uma desculpa fatigante de quem abdicou do dever mais sagrado da comunicação social: informar e esclarecer para formar.

Jornal de Negócios / 20090403




Publicidade

Facebook
Publicidade

Inspirações

Um Minuto de Amor

Publicidade

© Copyright 2003-2021 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE