Pedro Strecht

12 Citações

>>

Os silêncios são das maiores forças do crescimento psíquico. Representam tempos de pacificação, de resolução de conflitos, de reencontro, mas também são espaços de abertura, portas abertas à comunicação e ao preenchimento do que existe à nossa volta. Surpreendem. Marcam. Fazem adormecer, tanto quanto fazem sonhar.

Público / 20050812
Ler também implica outra questão fundamental no equilíbrio afectivo de todos, expressa na capacidade de estar só, na importância de alguém se escutar a si mesmo nos seus silêncios, de se organizar perante a ausência, de comunicar mentalmente através de uma linguagem não falada e de a ela conseguir ligar as representações afectivas que a leitura sugere. Quem lê sente e quando alguém sente tem que, automaticamente, saber digerir o impacto dessas mesmas emoções

Público / 20050617
A inveja patológica demonstra o desejo de posse de algo, só existente pelo sentido de ausência, de perda, em que o bom é projectado para o que é do outro, sendo o mau posto por inteiro no próprio. A inveja pressupõe então um desejo de posse para a aniquilação ou destruição do que é invejado e, segundo interpretações da psicologia clássica, pode ser lida como uma forma de expressão da pulsão de morte, uma vez que a sua existência em larga escala não amplia, não transforma, não elabora nada da própria pessoa ou dos outros: apenas se apropria e extingue.

Público / 20050203
Tudo aquilo a que podemos reduzir como condimentos para o equilíbrio emocional das pessoas e das sociedades é o seu desejo de ser amado e reconhecido para que, assim, seja também possível amar. Só que esta fórmula relaciona-se com toda a complexidade das ligações e dos sentimentos que unem e desunem cada um de nós enquanto ser individual e social.

Público / 20050106
Ler obriga cada um a ter um encontro consigo próprio, no tempo em que voluntariamente, ou pela mão de outrem, se entrega a um silêncio que mais não é do que o preenchimento da sua forma de sentir e, depois, pensar, através das emoções que a escrita de outro lhe revela e desenvolve. Ler é, por isso mesmo, um acto único de cada um entrar em contacto com partes muito profundas de si próprio, e disso encontrar eco ou amplidão e assim, no fundo, crescer, e fazê-lo de uma forma frequentemente mais aberta, crítica, amorosa ou humorística na relação consigo e com tudo o que o rodeia.

Público / 20041014
A organização do mundo interior (pessoal) condiciona a forma como o potencial de base intelectual se expressa de maneira mais ou menos adequada

Público / 20040304
Referendar ou não o aborto não é uma questão de consciência política, pois dizer sim ou não mexe com experiências íntimas de cada um, enquanto somatório da parte mais privada e inconsciente das nossas experiências de vida, organizadas no plano mental com anos e anos de vivências emocionais

Público / 20040219
É dado assente que a qualidade de evolução de um país se demonstra pela forma como protege e incentiva os mais novos. E que é dessa qualidade que depende a construção da sociedade de amanhã, que não mais será do que um espelho da forma como agora nos conseguirmos organizar para essa tarefa

Público / 20040205
Vive melhor quem ama mais. Adoece menos quem ama mais. Cria, inventa, sonha, cresce, marca, expande, irradia mais ainda todo aquele que se completa a si próprio através do amor que dá e recebe de um outro

Público / 20031113
Quem vive melhor a experiência do amor é irremediavelmente mais feliz. E, ao sê-lo, constituirá uma mais adequada e profícua harmonia interior, estando mais facilmente apto a fazê-lo em relação aos outros

Público / 20031113
>>
 

Facebook

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE