Publicidade

Herberto Helder

Portugal
23 Nov 1930 // 24 Mar 2015
Poeta

Publicidade
Nunca se sabe aquilo que basta. Talvez baste um poema, uma coisa mínima, viva, nossa, uma coisa sub-reptícia para empunhar diante do implacável acordo das formas exteriores. Também pode ser que nada baste. E nesse caso tanto faz escrever um romance ou cem poemas ou apenas um poema, ou ler ou emendar o céu astronómico ou manter-se parado no meio de um jardim húmido e silencioso, à noite. Até pode suceder que a morte não seja bastante.

Jornal Público, 4 Dezembro 1990

Citação em Imagem

Nunca se sabe aquilo que basta. Talvez baste um poema, uma coisa mínima, viva, nossa, uma coisa sub-reptícia para empunhar diante do implacável acordo das formas exteriores. Também pode ser que nada baste. E nesse caso tanto faz escrever um romance ou cem poemas ou apenas um poema, ou ler ou emendar o céu astronómico ou manter-se parado no meio de um jardim húmido e silencioso, à noite. Até pode suceder que a morte não seja bastante. - Herberto Helder - Frases




Publicidade

Facebook
José Saramago

Publicidade

Inspirações

Amar Produndamente

Publicidade

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE