21 Poemas

<< >>

O Último Negócio (11)

Certa manhã/ ia eu pelo caminho pedregoso,/ quando, de espada desembainhada,/ chegou o Rei no seu carro./ Gritei:/ — Vendo-me!/ O Rei tomou-me pela mão e disse:/ — Sou poderoso, posso comprar-te./ Ma...

A Solidão é Sempre Fundamento da Liberdade (12)

A solidão é sempre fundamento/ da liberdade. Mas também do espaço/ por onde se desenvolve o alargar do tempo/ à volta da atenção estrita do acto./ Húmus, e alma, é a solidão. E vento,/ quando da imóv...

Meu Pai, o que é a Liberdade? (13)

- Meu pai, o que é a liberdade?/ / - É o seu rosto, meu filho,/ o seu jeito de indagar/ o mundo a pedir guarida/ no brilho do seu olhar./ A liberdade, meu filho,/ é o próprio rosto da vida/ que a vid...

Quero dos Deuses só que me não Lembrem (14)

Quero dos deuses só que me não lembrem./ Serei livre — sem dita nem desdita,/ Como o vento que é a vida/ Do ar que não é nada./ O ódio e o amor iguais nos buscam; ambos,/ Cada um com seu modo, nos op...

Mors Liberatrix (15)

(A Bulhão Pato)/ / Na tua mão, sombrio cavaleiro,/ Cavaleiro vestido de armas pretas,/ Brilha uma espada feita de cometas,/ Que rasga a escuridão como um luzeiro./ / Caminhas no teu curso aventureiro...

Só Esta Liberdade nos Concedem os Deuses (16)

Só esta liberdade nos concedem/ Os deuses: submetermo-nos/ Ao seu domínio por vontade nossa./ Mais vale assim fazermos/ Porque só na ilusão da liberdade/ A liberdade existe./ / Nem outro jeito os deu...

Libera Me (17)

Livrai-me, Senhor,/ De tudo o que for/ Vazio de amor./ / Que nunca me espere/ Quem bem me não quer/ (Homem ou mulher)./ / Livrai-me também/ De quem me detém/ E graça não tem,/ / E mais de quem não/ P...

Não Quero, Cloe, teu Amor, que Oprime (18)

Não quero, Cloe, teu amor, que oprime/ Porque me exige amor. Quero ser livre./ / A 'sperança é um dever do sentimento./ / Ricardo Reis, in Odes / Heterónimo de Fernand...

Liberta em Pedra (19)

Livre, liberta em pedra./ Até onde couber/ tudo o que é dor maior,/ por dentro da harmonia jacente,/ aguda, fria, atroz,/ de cada dia./ / Não importam feições,/ curvas de seios e ancas,/ pés erectos ...

Desaparecido (20)

Sempre que leio nos jornais:/ «De casa de seus pais desapar'ceu...»/ Embora sejam outros os sinais,/ Suponho sempre que sou eu./ / Eu, verdadeiramente jovem,/ Que por caminhos meus e naturais,/ Do me...
<< >>

Facebook

Inspirações

Não há Normas

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE