Publicidade

Versos: 16

25 Versos

<< >>

"As rãs hão de coaxar-me em roucos tons humanos"
Autor - Mário de Sá-Carneiro
//VER DETALHE
"Vomitando a minha carne que comeram entre estrumes"
Autor - Mário de Sá-Carneiro
//VER DETALHE
"* * *"
Autor - Mário de Sá-Carneiro
//VER DETALHE
"Há sempre um grande Arco ao fundo dos meus olhos"
Autor - Mário de Sá-Carneiro
//VER DETALHE
"A cada passo a minha alma é outra cruz"
Autor - Mário de Sá-Carneiro
//VER DETALHE
"E o meu coração gira: é uma roda de côres"
Autor - Mário de Sá-Carneiro
//VER DETALHE
"Não sei aonde vou, nem vejo o que persigo"
Autor - Mário de Sá-Carneiro
//VER DETALHE
"Já não é o meu rastro o rastro d'oiro que ainda sigo"
Autor - Mário de Sá-Carneiro
//VER DETALHE
"Resvalo em pontes de gelatina e de bolôres"
Autor - Mário de Sá-Carneiro
//VER DETALHE
"Hoje, a luz para mim é sempre meia-luz"
Autor - Mário de Sá-Carneiro
//VER DETALHE
<< >>

Nota:
As rimas são obtidas com base nas últimas 3 letras da palavra, e não com base na fonética.
Publicidade

Facebook
Publicidade

Publicidade

© Copyright 2003-2021 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE