Publicidade

Fernando Pessoa

Portugal
13 Jun 1888 // 30 Nov 1935
Poeta

Publicidade

O Homem de Génio (II)

O homem de génio é um intuitivo que se serve da inteligência para exprimir as suas intuições. A obra de génio — seja um poema ou uma batalha — é a transmutação em termos de inteligência de uma operação superintelectual. Ao passo que o talento, cuja expressão natural é a ciência, parte do particular para o geral, o génio, cuja expressão natural é a arte, parte do geral para o particular. Um poema de génio é uma intuição central nítida resolvida, nítida ou obscuramente (conforme o talento que acompanhe o génio), em transposições parciais intelectuais. Uma grande batalha é uma intuição estratégica nítida desdobrada, com maior ou menor ciência, conforme o talento do estratégico, em transposições tácticas parciais.
O génio é uma alquimia. O processo alquímico é quádruplo: 1) putrefação; 2) albação; 3) rubificação; 4) sublimação. Deixam-se, primeiro, apodrecer as sensações; depois de mortas embranquecem-se com a memória; em seguida rubificam-se com a imaginação; finalmente se sublimam pela expressão.

Fernando Pessoa, in 'Ideias Estéticas - Da Literatura'




Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook
Publicidade

Inspirações

Ser Autêntico

Publicidade

© Copyright 2003-2021 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE