Adília Lopes

Portugal
n. 20 Abr 1960
Poetisa/Cronista/Tradutora

Lisboa

Cidade branca
semeada
de pedras

Cidade azul
semeada
de céu

Cidade negra
como um beco

Cidade desabitada
como um armazém

Cidade lilás
semeada
de jacarandás
Cidade dourada

semeada
de igrejas

Cidade prateada
semeada
de Tejo

Cidade que se degrada
cidade que acaba

Adília Lopes, in 'Poemas Novos'




Facebook

Inspirações

Viver Plenamente

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE