64 Poemas

>>

Se Tu Viesses Ver-me... (1)

Se tu viesses ver-me hoje à tardinha,/ A essa hora dos mágicos cansaços,/ Quando a noite de manso se avizinha,/ E me prendesses toda nos teus braços.../ / Quando me lembra: esse sabor que tinha/ A tu...
Charneca em Flor

Ternura (2)

Desvio dos teus ombros o lençol,/ que é feito de ternura amarrotada,/ da frescura que vem depois do sol,/ quando depois do sol não vem mais nada.../ / Olho a roupa no chão: que tempestade!/ Há restos...

Desespero (3)

Não eram meus os olhos que te olharam/ Nem este corpo exausto que despi/ Nem os lábios sedentos que poisaram/ No mais secreto do que existe em ti./ / Não eram meus os dedos que tocaram/ Tua falsa bel...

Frémito do Meu Corpo a Procurar-te (4)

Frémito do meu corpo a procurar-te,/ Febre das minhas mãos na tua pele/ Que cheira a âmbar, a baunilha e a mel,/ Doído anseio dos meus braços a abraçar-te,/ / Olhos buscando os teus por toda a parte,...
A Mensageira das Violetas

A Tua Voz de Primavera (5)

Manto de seda azul, o céu reflete/ Quanta alegria na minha alma vai!/ Tenho os meus lábios úmidos: tomai/ A flor e o mel que a vida nos promete!/ / Sinfonia de luz meu corpo não repete/ O ritmo e a c...
A Mensageira das Violetas

Lembra-te (6)

Lembra-te/ que todos os momentos/ que nos coroaram/ todas as estradas/ radiosas que abrimos/ irão achando sem fim/ seu ansioso lugar/ seu botão de florir/ o horizonte/ e que dessa procura/ extenuante...

Trazes-me em Tuas Mãos de Vitorioso (7)

Trazes-me em tuas mãos de vitorioso/ Todos os bens que a vida me negou,/ E todo um roseiral, a abrir, glorioso/ Que a solitária estrada perfumou./ / Neste meio-dia límpido, radioso,/ Sinto o teu cora...
A Mensageira das Violetas

A Sofreguidão de um Instante (8)

Tudo renegarei menos o afecto,/ e trago um ceptro e uma coroa,/ o primeiro de ferro, a segunda de urze,/ para ser o rei efémero/ desse amor único e breve/ que se dilui em partidas/ e se fragmenta em ...

Os Amantes com Casa (9)

Andavam pela casa amando-se/ no chão e contra as paredes. / Respiravam exaustos como se tivessem/ nascido da terra/ de dentro das sementeiras./ Beijavam-se magoados/ até se magoarem mais./ Um no outr...

Sem Palavras (10)

Brancas, suaves mãos de irmã/ Que são mais doces que as das rainhas,/ Hão de pousar em tuas mãos, as minhas/ Numa carícia transcendente e vã./ / E a tua boca a divinal manhã/ Que diz as frases com qu...
A Mensageira das Violetas

Noite de Sonhos Voada (11)

Noite de sonhos voada/ cingida por músculos de aço,/ profunda distância rouca/ da palavra estrangulada/ pela boca armodaçada/ noutra boca,/ ondas do ondear revolto/ das ondas do corpo dela/ tão domin...

Supremo Enleio (12)

Quanta mulher no teu passado, quanta!/ Tanta sombra em redor! Mas que me importa?/ Se delas veio o sonho que conforta,/ A sua vinda foi três vezes santa!/ / Erva do chão que a mão de Deus levanta,/ F...
Charneca em Flor

Namorados do Mirante (13)

ELES ERAM mais antigos que o silêncio/ A perscrutar-se intimamente os sonhos/ Tal como duas súbitas estátuas/ Em que apenas o olhar restasse humano./ Qualquer toque, por certo, desfaria/ Os seus corp...

O Livro dos Amantes (14)

I/ / Glorifiquei-te no eterno./ Eterno dentro de mim/ fora de mim perecível./ Para que desses um sentido/ a uma sede indefinível./ / Para que desses um nome/ à exactidão do instante/ do fruto que cai...

Os Amantes de Novembro (15)

Ruas e ruas dos amantes/ Sem um quarto para o amor/ Amantes são sempre extravagantes/ E ao frio também faz calor/ / Pobres amantes escorraçados/ Dum tempo sem amor nenhum/ Coitados tão engalfinhados/...

Quanto, Quanto me Queres? (16)

Quanto, quanto me queres? - perguntaste/ Olhando para mim mas distrahida;/ E quando nos meus olhos te encontraste,/ Eu vi nos teus a luz da minha vida./ / Nas tuas mãos, as minhas, apertaste./ Olhand...

Canção de Charme (17)

Querida vem junto de mim/ Esta noite quero cantar/ Uma canção para ti/ / Uma canção sem lágrimas/ Uma canção ligeira/ Uma canção de charme/ / O charme das manhãs/ Envolvidas em bruma/ Em que valsam c...

Filtro (18)

Meu Amor, não é nada: - Sons marinhos/ Numa concha vazia, choro errante.../ Ah, olhos que não choram! Pobrezinhos.../ Não há luz neste mundo que os levante!/ / Eu andarei por ti os maus caminhos/ E a...
Charneca em Flor

Dois Amantes, o Mundo (19)

dois amantes, o mundo/ cada um no seu reino, beijam-se nas praias/ quando as ondas batem as areias/ / o mar é o meu navio,/ hoje naufrago feliz/ / sabes quem sou, as dunas/ que se levantam com o vent...

Faz-se Luz (20)

Faz-se luz pelo processo/ de eliminação de sombras/ Ora as sombras existem/ as sombras têm exaustiva vida própria/ não dum e doutro lado da luz mas no próprio seio dela/ intensamente amantes louc...
>>

Facebook

O Vício de Ler

O vício de ler tudo o que me caísse nas mãos ocupava o meu tempo livre e quase todo o das aulas. Podia recitar poemas completos do repertório popular que nessa altura eram de uso corrente na Colômbia...

Tenho Saudades da Carícia dos Teus Braços

Tenho saudades da carícia dos teus braços, dos teus braços fortes, dos teus braços carinhosos que me apertam e que me embalam nas horas alegres, nas horas tristes. Tenho saudades dos teus beijos, dos...
Inspirações

Ímpeto de Voar

© Copyright 2003-2016 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE