Albert Einstein

Alemanha
14 Mar 1879 // 18 Abr 1955
Físico, Teoria da Relatividade

A Ideia de Moral Universal

Muito antes de o homem estar maduro para ser confrontado com uma atitude moral universal, o medo dos perigos da vida levaram-no a atribuir a vários seres imaginários, não palpáveis fisicamente, o poder de libertar as forças naturais que temia ou talvez desejasse. E ele acreditava que esses seres, que dominavam toda a sua imaginação, eram feitos fisicamente à sua imagem, mas eram dotados de poderes sobre-humanos. Estes foram os precursores primitivos da ideia de Deus. Nascidos inicialmente dos medos que enchiam a vida diária dos homens, a crença na existência de tais seres, e nos seus poderes extraordinários, teve uma influência tão forte nos homens e na sua conduta que é difícil de imaginar por nós. Por isso, não surpreende que aqueles que se empenharam em estabelecer a ideia de moral, abarcando igualmente todos os homens, o tenham feito associando-a intimamente à religião. E o facto de estas pretensões morais serem as mesmas para todos os homens pode ter tido muito a ver com o desenvolvimento da cultura religiosa da espécie humana desde o politeísmo até ao monoteísmo.
A ideia de moral universal deve, assim, a sua potência psicológica original àquela ligação com a religião. No entanto, noutro sentido, esta associação íntima foi fatal à ideia de moral. A religião monoteísta adquiriu formas diferentes com várias pessoas e grupos. Apesar de essas diferenças não serem de forma alguma fundamentais, passaram rapidamente a ser sentidas mais fortemente do que a essência, que era comum. E, dessa forma, a religião provocou frequentemente inimizade e conflito, em vez de unir conjuntamente a espécie humana numa ideia de moral universal.
Então surgiu o crescimento das ciências naturais, com a sua grande influência no pensamento e na vida prática, enfraquecendo ainda mais, nos tempos modernos, os sentimentos religiosos das pessoas. O modo causal e objectivo de pensar — apesar de não estar necessariamente em contradição com a esfera religiosa — deixa na maioria das pessoas pouco espaço para um aprofundamento do sentido religioso. E, por causa da tradicional associação íntima entre religião e moral, isso trouxe consigo, nos últimos cem anos, mais ou menos, um enfraquecimento sério do sentimento e pensamento moral. Esta é, quanto a mim, a causa principal da crescente barbaridade dos meios políticos dos nossos dias. Considerada conjuntamente com a terrível eficiência dos novos meios técnicos, a barbárie representa já uma ameaça temível para o mundo civilizado.
É escusado dizer que estamos gratos pelo facto de a religião lutar arduamente pela realização do princípio moral. No entanto, o imperativo moral não é um assunto apenas para a igreja e a para religião, sendo sim a mais preciosa possessão tradicional de toda a espécie humana. Consideremos sob este ponto de vista a posição da imprensa ou das escolas com o seu método competitivo! Tudo é dominado pelo culto da eficácia e do sucesso, e não pelo valor das coisas e do homem em relação aos fins morais da sociedade humana. A isto deve ser acrescentada a deterioração moral resultante da dura luta económica. A criação deliberada do sentido moral fora da esfera religiosa deve, todavia, ajudar este propósito, levar os homens a encararem os problemas sociais como uma oportunidade para desempenharem um serviço jubiloso em prol de uma vida melhor. Porque analisada sob um ponto de vista humano simples, a conduta moral não significa apenas uma rígida exigência de renúncia de algumas das desejadas alegrias da vida, mas, pelo contrário, um interesse sociável pelo bem comum para todos os homens (...) A moralidade no sentido aqui rapidamente explicado não é um sistema fixo e rígido. É, sim, uma posição segundo a qual todas as questões que ocorrem na vida podem e devem ser julgadas. É uma tarefa nunca terminada, algo sempre presente para guiar o nosso julgamento e inspirar a nossa conduta.

Albert Einstein, in 'Discurso (1938)'




Facebook

© Copyright 2003-2017 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE