Publicidade

Alexandre Search
(Heterónimo de Fernando Pessoa)

Portugal



Publicidade

Dor Suprema

Um amigo me disse: «O que tu crias
É sonho e pretensão, tudo fingido;
O pranto com que a mente sã desvias
É decerto forçado e pretendido!

Em toda a canção e conto que fazes
Porquê palavra dura, amargurada?
Por que ao vero e bom não te comprazes
E, jovem, a alegria é desdenhada?»

Porque, amigo, embora seja a loucura
Ora doce, ora dor inominada,
Nunca a dor humana a dor atura

Da mente louca, da loucura ciente;
Porque a ciência ganha é completada
Com o saber dum mal sempre iminente.

Alexander Search, in "Poesia"
// Consultar versos e eventuais rimas




Publicidade

Publicidade

Outros Poemas de Alexandre Search
(Heterónimo de Fernando Pessoa):

Publicidade

Facebook
Publicidade

Inspirações

Deixar Ser

Publicidade

© Copyright 2003-2021 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE