Publicidade

Adélia Prado

Brasil
n. 13 Dez 1935
Escritora

Publicidade

Exausto

Eu quero uma licença de dormir,
perdão pra descansar horas a fio,
sem ao menos sonhar
a leve palha de um pequeno sonho.
Quero o que antes da vida
foi o profundo sono das espécies,
a graça de um estado.
Semente.
Muito mais que raízes.

Adélia Prado, in 'Bagagem'




Publicidade

Publicidade

Outros Poemas de Adélia Prado:

Publicidade

Facebook
Publicidade

Publicidade

© Copyright 2003-2021 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE