Publicidade

José Luís Nunes Martins

Portugal
n. 14 Mar 1971
Filósofo
Publicidade

Quem São os Meus Amigos?

Os amigos não são as pessoas de quem gostamos. Nem aquelas que gostam de nós. Ser amigo não é gostar. O meu amigo é aquele que me vai conhecendo, amando, aperfeiçoando e revelando a mim mesmo quem sou.
O amigo está sempre presente. Mesmo quando está muito longe e não dá notícias.
Um amigo é quem escolhe sê ‑lo e depois é capaz de o ser.
Já os meus inimigos também são resultado de uma escolha minha.
É no meu coração que decido quem considero como meu opositor, quem encaro como meu antagonista.
Na verdade, os inimigos que nos perseguem ajudam a que não nos julguemos acima da realidade. Outros há que nos elogiam e aplaudem, fazendo‑nos acreditar no que afirmam e na bondade de o dizerem.
Confiarmos nas suas palavras é o princípio da nossa desgraça. O mal depende do espaço que lhe dermos. Muitas vezes a melhor defesa é a indiferença.
Se nos queremos aperfeiçoar, então precisamos de quem nos ajude a identificar as imperfeições, erros e vícios. Este é um dos mais importantes papéis do amigo, no entanto, muitas vezes não somos capazes de o permitir, pois buscamos apenas quem concorde connosco…
Os nossos maiores inimigos são as nossas falhas, bem como as desculpas que damos a nós mesmos para não as emendarmos. O importante é que nos fortaleçamos onde ainda somos fracos.
O mal que alguém me faz terá sempre a importância e o sentido que eu próprio lhe der.
O mal que faço a mim mesmo não tem sentido. Qualquer que seja a forma como eu o justifique.

José Luís Nunes Martins, in 'As Obras do Amor'




Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook
Publicidade

Publicidade

© Copyright 2003-2021 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE