Camilo Pessanha

Portugal
7 Set 1867 // 1 Mar 1926
Poeta

O Meu Coração Desce

O meu coração desce,
Um balão apagado...
_ Melhor fora que ardesse,
Nas trevas, incendiado.
Na bruma fastidienta.
Como um caixão à cova...
_ Porque antes não rebenta
De dor violenta e nova?!
Que apego ainda o sustém?
Átomo miserando...
_ Se o esmagasse o trem
Dum comboio arquejando!...

O inane, vil despojo
Da alma egoísta e fraca!
Trouxesse-o o mar de rojo,
Levasse-o a ressaca.

Camilo Pessanha, in 'Clepsidra'
// Consultar versos e eventuais rimas




Facebook

Inspirações

Eleva a Tua Alma

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE