137 Poemas

>>

Tabacaria (1)

Não sou nada./ Nunca serei nada./ Não posso querer ser nada./ À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo./ / Janelas do meu quarto,/ Do meu quarto de um dos milhões do mundo que ninguém sabe...

Cansaço (2)

O que há em mim é sobretudo cansaço — / Não disto nem daquilo, / Nem sequer de tudo ou de nada: / Cansaço assim mesmo, ele mesmo, / Cansaço. / / A subtileza das sensações inúteis, / As paixões violen...

Tenho Tanto Sentimento (3)

Tenho tanto sentimento/ Que é frequente persuadir-me/ De que sou sentimental,/ Mas reconheço, ao medir-me,/ Que tudo isso é pensamento,/ Que não senti afinal./ / Temos, todos que vivemos,/ Uma vida q...

Pedra Filosofal (4)

Eles não sabem que o sonho/ é uma constante da vida/ tão concreta e definida/ como outra coisa qualquer,/ como esta pedra cinzenta/ em que me sento e descanso,/ como este ribeiro manso/ em serenos so...

Dorme, que a Vida é Nada! (5)

Dorme, que a vida é nada!/ Dorme, que tudo é vão!/ Se alguém achou a estrada,/ Achou-a em confusão,/ Com a alma enganada./ / Não há lugar nem dia/ Para quem quer achar,/ Nem paz nem alegria/ Para que...

A Vida (6)

É vão o amor, o ódio, ou o desdém;/ Inútil o desejo e o sentimento.../ Lançar um grande amor aos pés d'alguém/ O mesmo é que lançar flores ao vento!/ / Todos somos no mundo Pedro Sem ,/ Uma alegria ...
Livro de Sóror Saudade

Estou Tonto (7)

Estou tonto, / Tonto de tanto dormir ou de tanto pensar, / Ou de ambas as coisas. / O que sei é que estou tonto / E não sei bem se me devo levantar da cadeira / Ou como me levantar dela. / Fiquemos n...

Vem Sentar-te Comigo, Lídia, à Beira do Rio (8)

Vem sentar-te comigo, Lídia, à beira do rio./ Sossegadamente fitemos o seu curso e aprendamos/ Que a vida passa, e não estamos de mãos enlaçadas./ (Enlacemos as mãos.)/ / Depois p...

Encostei-me (9)

Encostei-me para trás na cadeira de convés e fechei os olhos, / E o meu destino apareceu-me na alma como um precipício. / A minha vida passada misturou-se com a futura, / E houve no meio um ruído do ...

Vivo uma Vida que não Quero nem Amo (10)

Súbdito inútil de astros dominantes,/ Passageiros como eu, vivo uma vida/ Que não quero nem amo,/ Minha porque sou ela,/ / No ergástulo de ser quem sou, contudo,/ De em mim pensar me livro, olhando n...
>>

Facebook

Inspirações

Dar e Receber

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE