Publicidade

Abílio de Guerra Junqueiro

Portugal
15 Set 1850 // 7 Jul 1923
Escritor/Poeta/Jornalista/Político

Publicidade

A Minha Filha

(Vendo-a dormir)

Que alma intacta e delicada!
Que argila pura e mimosa!
É a estrela d'alvorada
Dentro dum botão de rosa!

E, enquanto dormes tranquila,
Vejo o divino esplendor
Da alma a sair da argila,
Da estrela a sair da flor!

Anjos, no azul inocente,
Sobre o teu hálito leve
Desdobram candidamente,
Em pálio, as asas de neve...

E eu, urze má das encostas,
Eu sinto o dever sagrado
De te beijar— de mãos postas!
De te abençoar — ajoelhado!

Guerra Junqueiro, in 'Poesias Dispersas'
// Consultar versos e eventuais rimas




Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook
Publicidade

Inspirações

Esperar pelo Melhor

Publicidade

© Copyright 2003-2021 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE