Publicidade

Saul Bellow

Estados Unidos
10 Jun 1915 // 5 Abr 2005
Escritor [Nobel 1976]

Publicidade

A Aceleração do Tempo

Eu dizia com frequência a Rosamund que um dos problemas do envelhecimento era a aceleração do tempo. Os dias passavam por nós como «as estações do metro passavam pelo comboio expresso». Costumava mencionar ‘A Morte de Ivan llich’ para ilustrar isto a Rosamund. Os dias da infância são muito compridos, mas na velhice eles voam «mais rápido do que um mergulhão», como diz Job. E Ivan llich também menciona a súbita ascensão de uma pedra lançada ao ar. «Quando regressa à terra acelera à velocidade de nove metros por segundo.» Nós somos controlados pelo magnetismo gravitacional e o universo inteiro está envolvido na sua aceleração quando desce. Se pudéssemos simplesmente trazer de volta os dias cheios que vivemos quando crianças. Mas, sugiro eu, tornámo-nos demasiado familiares com a informação da experiência. A nossa maneira de organizar a informação que cai sobre nós ao estilo ‘gestalt’ — isto é, em formas cada vez mais abstratas — acelera as experiências até um perigoso corrupio, como numa comédia com imagens demasiado rápidas. A nossa necessidade de excreção rápida elimina os pormenores que enfeitiçam, prendem ou retardam as crianças. A arte é um refúgio desta aceleração caótica. O metro na poesia, o tempo na música, a forma e a cor na pintura. Mas nós sentimos que estamos a acelerar em direção à terra, quase a chocar com as nossas sepulturas.

Saul Bellow, in 'Ravelstein'




Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook
José Saramago

Publicidade

Publicidade

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE