Publicidade

Miguel Torga

Portugal
12 Ago 1907 // 17 Jan 1995
Escritor/Poeta

Publicidade

A Exacta Glória é a Póstuma

A exacta glória é a póstuma, a que nenhum dente rói, e que só desce sobre um nome depois da ressurreição intemporal do seu possuidor. Todos sabemos que a imortalidade do poeta lhe nasce das cinzas. Mas o artista enquanto vive é homem. Rege-o tanto uma lei de cima como uma lei de baixo. E por isso, pela transitória fama entre meia dúzia de condicionados contemporâneos, é capaz de matar um irmão. Velhos e novos aprestam nesta triste luta as mesmas armas e as mesmas unhas. Os velhos querem guardar os loiros; os novos querem tirar-lhos das mãos. E sem haver a mais pequena esperança de paz entre as duas forças. É da própria natureza dos contendores que nenhum ceda. A sofreguidão é tanto da fisiologia senil, como da infantil...

Miguel Torga, in "Diário (1943)"




Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook
Publicidade

Inspirações

Falar ao Amigo

Publicidade

© Copyright 2003-2021 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE