Publicidade

Blaise Pascal

França
19 Jun 1623 // 19 Ago 1662
Filósofo, Matemático

Publicidade

O Juízo no seu Ponto Natural

Como é difícil propor uma coisa ao juízo alheio, sem lhe corromper o juízo pela maneira de lha propor! Se se diz: acho-o belo, acho-o obscuro, ou outra coisa semelhante, arrasta-se a imaginação a este juízo, ou, pelo contrário, afastamo-la dele. Vale mais não dizer nada; e então ele julga conforme o que é, quer dizer, conforme o que é então e o que as outras circunstâncias de que não somos autores lhe tenham sugerido. Mas ao menos não teremos insinuado nada; a não ser que este silêncio também produza o seu efeito, conforme a volta e a interpretação que estiver de humor a dar-lhe, ou conforme o que conjecturar dos movimentos de expressão da cara ou do tom da voz, conforme for fisionomista: tão difícil é manter um juízo no seu ponto natural, ou antes, tão pouca firmeza e estabilidade há!

Blaise Pascal, in "Pensamentos"




Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook
Publicidade

Inspirações

Amar e Partilhar

Publicidade

© Copyright 2003-2021 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE