84 Poemas

<< >>

Lembrança (21)

Fui Essa que nas ruas esmolou/ E fui a que habitou Paços Reais;/ No mármore de curvas ogivais/ Fui Essa que as mãos pálidas poisou.../ / Tanto poeta em versos me cantou!/ Fiei o linho à porta dos cas...
Charneca em Flor

Poema da Auto-estrada (22)

Voando vai para a praia/ Leonor na estrada preta./ Vai na brasa, de lambreta./ / Leva calções de pirata,/ Vermelho de alizarina,/ modelando a coxa fina/ de impaciente nervura./ Como guache lustroso,/...

Perfume Exótico (23)

Quando eu a dormitar, num íntimo abandono,/ Respiro o doce olor do teu colo abrasante,/ Vejo desenrolar paisagem deslumbrante/ Na auréola de luz d'um triste sol de outono;/ / Um éden terreal, uma ind...

Em Horas inda Louras, Lindas (24)

Em horas inda louras, lindas/ Clorindas e Belindas, brandas,/ Brincam no tempo das berlindas,/ As vindas vendo das varandas,/ De onde ouvem vir a rir as vindas/ Fitam a fio as frias bandas./ / Mas em...

Loira (25)

Eu descia o Chiado lentamente/ Parando junto às montras dos livreiros/ Quando passaste irônica e insolente,/ Mal pousando no chão os pés ligeiros./ / O céu nublado ameaçava chuva,/ Saía gente fina de...

Nunca Envelhecerás (26)

A tua cabeleira/ é já grisalha ou mesmo branca?/ Para mim é toda loira/ e circundada de estrelas./ Sobre ela/ o tempo não poisou/ o inverno dos anos/ que se escoam maldosos/ insinuando rugas, fios br...

A uma Mulher (27)

Pra vós são estes versos, pla consoladora/ Graça dos olhos onde chora e ri um sonho/ Doce, pla vossa alma pura e sempre boa,/ Versos do fundo desta aflição opressora./ / Porque, ai! o pesadelo hedion...

Uma Recordação (28)

Não há homem que consiga deixar uma marca/ nela. Todo o passado se dilui num sonho/ como uma rua na manhã e só fica ela./ Se não fosse a testa franzida por um momento/ pareceria atónita. As maçãs do ...

Génio do Mal (29)

Gostavas de tragar o universo inteiro,/ Mulher impura e cruel! Teu peito carniceiro,/ Para se exercitar no jogo singular,/ Por dia um coração precisa devorar./ Os teus olhos, a arder, lembram as gamb...

Aleluia (30)

Era a mulher — a mulher nua e bela,/ Sem a impostura inútil do vestido/ Era a mulher, cantando ao meu ouvido,/ Como se a luz se resumisse nela.../ Mulher de seios duros e pequenos/ Com uma flor a abr...

Para As Raparigas de Coimbra (31)

1/ / Ó choupo magro e velhinho,/ Corcundinha, todo aos nós:/ És tal qual meu avôzinho,/ Falta-te apenas a voz./ / 2/ / Minha capa vos acoite/ Que é p'ra vos agazalhar:/ Se por fóra é cor da noite,/ P...

A Mulher Nua (32)

Humana fonte bela,/ repuxo de delícia entre as coisas,/ terna, suave água redonda,/ mulher nua: um dia,/ deixarei de te ver,/ e terás de ficar/ sem estes assombrados olhos meus,/ que completavam tua ...

Poeminha de Louvor ao Strip-tease Secular (33)

Eu sou do tempo em que a mulher/ nem mostrava o tornozelo;/ que apelo!/ / Depois, já rapazinho/ vi as primeiras pernas de mulher/ por sob a curta saia;/ que gandaia!/ / A moda avança,/ a saia sobe ma...

O Que Tu És... (34)

És Aquela que tudo te entristece/ Irrita e amargura, tudo humilha;/ Aquela a quem a Mágoa chamou filha;/ A que aos homens e a Deus nada merece./ / Aquela que o sol claro entenebrece/ A que nem sabe a...
Livro de Sóror Saudade

A uma Mulher (35)

Para tristezas, para dor nasceste./ Podia a sorte pôr-te o berço estreito/ N'algum palácio e ao pé de régio leito,/ Em vez d'este areal onde cresceste:/ / Podia abrir-te as flores — com que veste/ As...

Ó Virgens! (36)

Ó virgens que passaes, ao sol-poente,/ Pelas estradas ermas, a cantar!/ Eu quero ouvir uma canção ardente/ Que me transporte ao meu perdido lar.../ / Cantae-me, n'essa voz omnipotente,/ O sol que tom...

Há uma Mulher a Morrer Sentada (37)

Há uma mulher a morrer sentada/ Uma planta depois de muito tempo/ Dorme sossegadamente/ Como cisne que se prepara/ Para cantar/ / Ela está sentada à janela. Sei que nunca/ Mais se levantará para abri...

H (38)

Sei que dez anos nos separam de pedras/ e raízes nos ouvidos/ / e ver-te, ó menina do quarto vermelho,/ era ver a tua bondade, o teu olhar terno/ de Borboleta no Infinito/ / e toda essa sucessão de p...

Z (39)

As formas, as sombras, a luz que descobre a noite/ e um pequeno pássaro/ / e depois longo tempo eu te perdi de vista/ meus braços são dois espaços enormes/ os meus olhos são duas garrafas de vento/ /...

O Teu Aniversário (40)

Pediste-me sorrindo, ó minha flor gentil,/ Uns versos às tuas vinte alvoradas de Abril./ Vinte anos já!... não creio, estás equivocada.../ Enganas-te. Eu irei perguntar à alvorada/ Quantas vezes pous...
<< >>

Facebook

.
© Copyright 2003-2017 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE