Publicidade

Lara de Lemos

Brasil
22 Jul 1923 // 12 Out 2010
Poeta/Jornalista

Publicidade

Como se nunca,
terrena e submissa,
recolhesse do amor
o fruto sazonado.

Como se os abraços
não fossem para
o homem e suas dores
acalanto e regaço

Como se não houvesse
riso e pranto
noite escura e dia
a canção e os mortos

Só. Como se o muro
surgisse inexplicável
e eu tivesse nascido
do outro lado.

Lara de Lemos, in 'Amálgama'




Publicidade

Publicidade

Outros Poemas de Lara de Lemos:

Publicidade

Facebook
Publicidade

Inspirações

Ser Autêntico

Publicidade

© Copyright 2003-2021 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE